Devilish lança álbum “Superfreaktion”

Devilish lança álbum “Superfreaktion”

Power trio da Forever Vacation Records apresenta um som pesado e diabolicamente dançante e faz shows pelo país

Foto: Divulgação

Devilish, banda do selo e gravadora Forever Vacation Records, é formada por Paulo Ratkiewicz (guitarra e vocais), Éder Chapolla (bateria) e Caíque Fermentão (baixo). O power trio lança seu primeiro álbum “Superfreaktion” e o clipe de seu primeiro single, “Tonight Alright”. Além disso, anuncia as datas do “Getting Hot Tour”, onde apresenta ao vivo as músicas de “Superfreaktion” e algumas do EP de estréia.

O primeiro full álbum do Devilish tem uma pegada pesada e dançante. “Fomos trabalhando durante os ensaios e desenvolvendo as músicas com calma e carinho. Pré-produzimos 32 músicas, no Evil Heart estúdio, das quais escolhemos 10 para o disco. Foi quando percebemos que a música ‘Superfreaktion’ fazia a conexão entre as faixas escolhidas e resolvemos que esse seria o nome do álbum. Trabalhamos com Alexandre Capileh (produtor) com a ideia principal de ter um registro o mais parecido possível com a banda tocando ao vivo”, explica Paulo.

Ouça “Superfreaktion”: https://open.spotify.com/album/3CX22mlGm22ijaMAPXOkLu

Arte: Luckas Melo

 

Faixa a faixa por Paul Ratk

01 – Tonight Alright

(Letra Paul Ratk/ Música Fábio Mallmann)

Uma noite alucinante onde tudo é permitido. O corpo queimando em loucura pulsante buscando a realização de desejos obscuros, rompendo a conexão com a realidade. Prestes a explodir, suas vontades reprimidas, aquele momento de catarse em que o bem, o mal e o diabólico se confundem. Uma noite em que tudo pode acontecer e tudo é possível. A perversão entre olhares, o fogo consumindo sua alma miserável, em um sonho desperto e perturbado.

02- Bad Ideas

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk/ Participação especial de Ricardo Mastria – Dead Fish / Sugar Kane / Black Mantra – nos vocais graves e no solo de guitarra)

Todas as velas de possibilidades estão apagadas e a vida se encontra no breu total. Você finalmente entende que as escolhas erradas construíram o que você é. Como desfrutar do doce sem conhecer o amargo? A loucura dos desejos vívidos, ofuscando a beleza dos momentos de solidão e dor vividos.

03 – Distracted

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

A erosão da sanidade em um mergulho cintilante. O retrato obscuro de uma geração de distraídos, cegos pelo écran do ego e do medo. A falta do contato físico, desumanizando e tornando cada vez mais confusas as relações de amor. A dificuldade em viver o momento fica aparente, a necessidade de fuga torna-se inevitável.

04 – Unspeakable Way

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

O tempo e espaço congelados em um respiro de amor. Medo e dor desaparecem, e você percebe que nunca mais será o mesmo. A lua brilhando em seus pensamentos, os fantasmas gritam, clamando sua liberdade. O vazio pulsante dentro de sua alma corrompida. O momento em que os todos limites são ultrapassados.  

05 – Ready To Die

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk, Caique Fermentão e Chapolla)

Tentando entender os sentimentos latentes em seu coração, perdido nas ruas da cidade grande. Sozinho, prestes a explodir. “Fissurado” por desejos profanos, buscando mais “doses” para alimentar a alma. Pronto para morrer, de forma obscura, consumido pela obsessão de seu amor. Vivenciando todo o mal cometido, os error e atos de insanidade, a dolorosa insistência colérica e febril, em uma caminhada interminável.

06 – Around My Neck

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

A cobra pega o que quer. O amor sufocante e violento, dentro do quarto mais escuro. A insegurança é a loucura suicida sussurrada aos ouvidos. Enquanto sua alma dilacera em pedaços insuportáveis de existência. És deixado do lado de fora da porta. Entender e descobrir para onde foi a sua sanidade, estaria ela acompanhada por seu amor? O semblante do desespero ainda oprime o peito em pesadelos despertos.

07 – Superfreaktion

(Letra Paul Ratk e Caique Fermentão / Música Paul Ratk e Caique Fermentão/ Participação especial de Rafael Mimi Almeida – NXZERO/ Trago – nos sintetizadores)

“Superfreaktion” nasceu de um riff inicial meu. Eu e Caique estávamos compondo para o disco e entramos em uma onda de superação pessoal. Escrevemos música e letra em menos de duas horas enquanto esperávamos Chapolla para um ensaio. A letra fala de paixão medo e delírio na pista de dança. Os encontros e desencontros vividos em um “clube” dos anos 90.

O amor em chamas, transcendendo a sanidade. Possessão e desespero falando em alto e bom tom.      

08 – Fire In My Eyes

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

Fogo ardente de olhares tóxicos, confusão e dor confundem-se com amor, em um alma perturbada. Quem mais poderia ser? Senão o próprio diabo. Talvez encontre no medo a sua verdadeira necessidade de fuga. A boa e velha “antes só do que mal acompanhado” melhor fugir enquanto ainda há tempo.

09 – It’s Never Enough  

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

Na ânsia de não ser derrotado por si mesmo, juntar todos os pedaços quebrados, de sua psique, torna-se a única saída para seguir em frente. Para quem possui  um “coração elétrico” em chamas nada basta. Testar os caminhos além dos limites do corpo e da mente é sempre essencial. A linha tênue, entre quebrar ou não as barreiras, deixa de existir, quando o tempo corre insano por suas veias.

10 -Time

(Letra Paul Ratk/ Música Paul Ratk)

A morte e o tempo lhe trouxeram aqui. Sozinho na estrada da perdição, completamente louco. A escuridão emanando seus encantos. O tempo se foi, e o amor não irá voltar. A superação dos medos, em lágrimas faz a transmutação, de uma existência daninha, em uma alma liberta.

SOBRE DEVILISH

O power trio Devilish estreou com o EP homônimo em 2017, lançado pela Coqueiro Verde Records. O coração da banda é Paulo Ratkiewicz, guitarrista, e Éder Chapolla, baterista. Chapolla já abriu para o Green Day, tem na estante alguns prêmios da MTV, da Multishow, indicações pro Grammy Latino, entre outras conquistas. Paulo veio de Porto Alegre, cidade onde agitou e virou do avesso com um largo histórico roqueiro desde 2001. O último a integrar a banda foi Caíque Fermentão, que também toca na Corona Kings e no Ator Morto. Em março de 2017, a Devilish foi uma das bandas selecionadas pelo Levi’s Original’s Studio e gravou um single que será lançado este ano dentro do projeto. No mesmo mês, foi destaque na coluna Vitrola, de Thales de Menezes, no impresso da Folha de São Paulo. Participou do projeto Jägermeister Grounds de 2017, nova plataforma musical da marca mundial de bebida, que realizou shows e eventos em cinco estados brasileiros. Ainda em 2017 abriu para CJ Ramone, com participação no Festival CRACCA, e Festival Morro Stock, ambos no sul do país. Em maio de 2018, Devilish entrou novamente em estúdio para gravar seu primeiro álbum, “Superfreaktion”, lançado em outubro do mesmo ano pela Forever Vacation Records.      

Site: https://www.devilishband.com.br/

Facebook: https://www.facebook.com/devilishrocknhellband/

Instagram: https://www.instagram.com/devilish.band/

 

SOBRE FOREVER VACATION RECORDS

Forever Vacation Records é um selo e gravadora independente, fundado em 2017, com sede no Estúdio Costella (São Paulo). Formado por Alexandre Capilé, Fabricio Livre e Lucas Melim, figuras conhecidas no rock underground, está movimentando a cena não só lançando álbuns, mas também fazendo booking, produção executiva, PR e gerenciamento de carreira. Além de promover tours, festas e atividades culturais. Com quase um ano de existência, o selo tem em seu casting as bandas Water Rats, Deb and The Mentals, Karen Dió, Corona Kings, Luke & No Friends, Devilish, Violet Soda, Dínamo e Ator Morto. Em agosto de 2018, fechou parceria com o selo e gravadora chileno Algo Records e lançou o álbum do duo Magaly Fields no Brasil.

Site: http://www.forevervacationrecords.com/

Facebook: https://www.facebook.com/ForeverVacationRecords/

Instagram: https://www.instagram.com/forevervacationrecords/

Youtube: http://bit.ly/2AmZ4jI

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Avatar
Nós da Rede
Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.