Depeche Mode @ Allianz Park – São Paulo/SP (27/03/2018)

Depeche Mode traz noite nostálgica na última terça-feira (27), e leva os 25 mil fãs ao delírio no Allianz Parque

O que dizer do show do Depeche Mode que aconteceu na última terça-feira (27) no Allianz Parque?.. Que foi simplesmente MA-RA-VI-LHO-SO, para nenhum fã botar defeito.

Texto: Patricia Gil

Revisão: Paula Alecio

Fotos cedidas pelo Site Midiorama – fotógrafo Marcelo Rossi.

O show faz parte da turnê “Global Spirit Tour”, do álbum “Spirit”, 14° álbum de estúdio lançado no ano passado. Os britânicos subiram ao palco por volta das 21h45, e iniciaram com a música “Going Backwards” do último álbum. A canção nos traz uma reflexão de como nós seres humanos somos capazes  de retroceder, ao invés de evoluir . Nessa hora estava chovendo um pouco (depois de cair um pé d’água), e estávamos naquele misto de euforia …“São Pedro, dá uma trégua ae”, e  “PQP!! É o Depeche Mode!”

O Allianz Parque ficou pequeno para as 25 mil pessoas que ali estavam ao delírio. Víamos uma  mistura de várias gerações, em clima de festa e êxtase. Para os que estavam ali tendo a oportunidade de ver a banda ao vivo pela 1ª vez (o meu caso), ou para os saudosos que estavam ansiosamente aguardando por esse momento pela 2ª vez há quase 24 anos de espera, certamente tivemos o privilégio de ver uma das bandas mais importantes da década de 80, sendo pioneira no uso de samples.

E foi da 2ª música em diante que fomos teletransportados para uma viagem nostálgica, arrancando lágrimas, sorrisos, suspiros, gritos e muita, muita emoção.  A banda tocou um grande clássico de 97, “It´s No Good” e Dave Gahan extremamente carismático, iniciando sua performance teatral no palco, entre danças empolgantes ou sensuais, closes, giros, e sua voz  arrepiante, para nos deixar totalmente sem fôlego para assimilar todo aquele momento, tivemos a sequência com as canções “Barrel of a Gun”, “A Pain That I’m Used To, “Useless” (coração disparou..) e “Precious”,e ainda recebemos um elogio “Boa noite, São Paulo! Como vocês estão? Vocês são os melhores!”,  mas ainda não estávamos preparados para o turbilhão de emoções que estavam por vir.  Martin Gore, cantou 3 canções , com direito a um lindo coro e trégua da chuva, ouvimos em sua voz, as canções “Insight”, “Home”, e “Strangelove”.

Outras canções clássicas, ou do trabalho novo continuaram nos deixando anestesiados e sem voz. Ouvimos mais uma canção do ábum “Spirit”, a música “Where’s The Revolution?”, e depois o setlist mais lindo do universo S2, e que a maioria que estava ali,  não estava mais se aguentando de ansiedade para ouvir as próximas sequências. Tivemos “Everthing Counts”, repleta de energia vinda do público, entre balões verde e amarelo de pessoas próximas ao palco e muita alegria, e logo mais a canção “Stripped”, e uma das canções mais aguardadas, “Enjoy the Silence” com direito a coro, projeções no telão e arranjos sensacionais feitos pelos músicos Christian Eigner e Peter Gordeno, e em seguida a canção “Never Let Me Down Again”, com uma pausa deixando o palco para o momento bis..

Depois de uma pequena espera, Martin Gore volta para tocar “Strangelove” na versão acústica, só imaginem o coro “Strangelove, strange highs and strange lows, Strangelove, that’s how my love goes, Strangelove, will you give it to me?”  lindo!! Lindooo!!   Depois tivemos a canção “Walking In My Shoes” com Dave de volta ao palco (e nesse momento o coração já estava ficando apertadinho, pois o final do show já estava próximo),  daí veio a canção “Question Of Time”,  e é claro que uma canção não poderia faltar nesse repertório pé no peito..  a segunda música mais aguardada, .. finalmente ouvimos a aclamada canção  “Personal Jesus” , com todo mundo cantando, dançando, gritando (e sofrendo porque já sabíamos que era a última música),  e certamente com a sensação de muita gratidão pela noite incrível que tivemos. Foi  um show de extrema qualidade, pois quem sabe faz ao vivo, e não ficou dúvida alguma, de que Dave Gahan, Martin Gore e Andy Fletcher estão com disposição de sobra.

Setlist do Show

      1. Going Backwards
      2. It´s No Good
      3. Barrel of a Gun
      4. A Pain That I´m Used To
      5. Useless
      6. Precious
      7. World in My Eyes
      8. Cover me
      9. Insight
      10. Home
      11. In Your Room
      12. Where´s the Revolution
      13. Everthing Counts
      14. Stripped
      15. Enjoy the Silence
      16. Never Le Me Down Again

    Encore:

    1. Strangelove
    2. Walking in My Shoes
    3. A Question of Time
    4. Personal Jesus
Paula Alecio
Últimos posts por Paula Alecio (exibir todos)
Paula Alecio

Paula Alecio

Sou bióloga de profissão e metaleira de coração e alma. Adoro sempre conhecer novas vertentes no rock e no metal, ir aos shows alimenta minha alma sedenta de heavy metal, e me faz sentir viva. Por isso mantenho o site no ar, para ajudar nossas bandas a irem mais longe! Estamos juntos nessa estrada conflituosa e cheia de vicissitudes.