Dee Snider @ Tom Brasil – São Paulo/SP (23/03/2019)

O cantor, compositor, ex-vocalista e líder da lendária banda de hard rock Twisted Sister DEE SNIDER, realizou uma turnê pela América Latina no mês de março, passando por Peru, Chile, Argentina e no Brasil, com duas apresentações, em Curitiba e em São Paulo. Marquei minha presença no show de São Paulo, realizado no Tom Brasil. Com a divulgação do seu mais recente álbum “For the Love of Metal” lançado no ano passado, muito bem elogiado pela crítica e pelo público, DEE SNIDER nos apresentou um show bem energético tocando as faixas do disco e grandes clássicos de sua carreira, mais precisamente, Twisted Sister. Só lembrando que essa turnê pela América Latina não acabou, possui mais uma data no mês de junho, dia 14 no México.

The Secret Society

Encarregados pela abertura, foi o power trio de Curitiba The Secret Society. Formado por Guto Diaz (vocal e baixo), Fabiano Cavassin (guitarra) e Orlando Custódio (bateria), no momento a banda possui apenas singles lançados e nesse show, nos apresentaram essas composições. O trio sobem ao palco e deu início com algumas notas de guitarra realizadas pelo Fabiano, logo o Guto dá uma boa noite ao público e anuncia a primeira música do repertório “Beyond the Gates”. Na sequência, vieram “Fields of Glass”, “Mephistofaustian Transluciferation” e “The Final Cut”, músicas seguindo uma pegada bem sombria, um hard rock combinando com um rock gótico bem realizado, bons riffs de guitarra, um baixo pesado, bateria intensa e vocais atraentes.

“É hora de celebrar os vivos e honrar os mortos”, anunciado pelo Guto e vir “Rites of Fire”, para depois executarem “Rubicon”. “The Architecture Of Melancholy” foi tocada, composição que possui um videoclipe e pode ser encontrado no YouTube, inclusive, antes mesmo de começar o show deles, o videoclipe da música foi projetada no telão de fundo. A última música do setlist foi o cover do Iggy Pop “Cry For Love” e após, aquela famosa foto com a galera. Durante toda a apresentação, vários tipos de imagens estavam sendo projetadas no telão de fundo, imagens misteriosas, acontecimentos históricos, um clima sombrio, tudo isso numa ótima montagem em preto e branco. Mesmo com o Tom Brasil ainda vazio, The Secret Society agradaram o público presente numa boa apresentação.

Setlist:

1. Beyond the Gates
2. Fields of Glass
3. Mephistofaustian Transluciferation
4. The Final Cut
5. Rites of Fire
6. Rubicon
7. The Architecture Of Melancholy
8. Cry For Love (Iggy Pop cover)

Line-up:

Guto Diaz – Vocal e Baixo
Fabiano Cavassin – Guitarra
Orlando Custódio – Bateria

Dee Snider

Tom Brasil com um bom público, chegou a hora do DEE SNIDER. “Exciter” do Judas Priest foi tocada pelas caixas de som e dentro de alguns minutos, sobem os integrantes da banda e por último o DEE SNIDER, saldou os fãs e iniciou o repertório com “Lies Are a Business” e “Tomorrow’s No Concern”, as duas primeiras faixas do “For the Love of Metal”, composições que já sentimos a tamanha empolgação do DEE e do público. Na sequência, SNIDER já mandou Twisted Sister, com a música “You Can’t Stop Rock ‘n’ Roll” do álbum homônimo lançado em 1983, segundo disco da banda, onde os fãs cantaram seus ótimos refrões. As interações do DEE com o público já acontecia, depois de muitas vibrações, ele soltou aquela famosa frase, “Hell Yeah…Fuck!”, que foi dita por várias vezes ao decorrer do show. Continuando, disse que está muito feliz por retornar a São Paulo no Brasil, falou que executaria as faixas do novo álbum “For the Love of Metal” e claro tocará Twisted Sister, por último, anunciou “American Made” do seu atual disco.

Logo em seguida, as primeiras notas de “Burn in Hell” pudemos apreciar e de cara, o público começou a cantar os primeiros trechos da música e o DEE perguntou, “Brasil, vocês estão prontos para Burn in Hell ?”, os fãs responderam positivamente e deu prosseguimento a execução. Clássica composição do Twisted Sister presente no clássico álbum “Stay Hungry” de 1984, foi sensacional os backing vocals realizados pelos integrantes em seus refrões e que composição excepcional é essa, a execução foi perfeita. Mais um, “Hell Yeah…Fuck!”, SNIDER falou que gostaria muito de falar em português, porém, disse que não consegue falar e que dá próxima vez que retornar ao Brasil, ele vai conseguir. Retornando ao seu mais recente disco, veio “I Am the Hurricane” e de imediato o clássico absoluto do Twisted Sister “We’re Not Gonna Take It”, que momento maravilhoso, todos os presentes cantando os refrões a plenos pulmões, um belíssimo coro formado e que composição energética, colocou todo mundo para pular e vibrar ainda mais. Quando finalizou a música, ele voltou e pediu para o público cantar os refrões, sendo muito bem recebido e os fãs novamente cantando esse incrível refrão numa enorme potencialidade e com isso, a banda voltou e continuaram a música, finalizando de uma maneira linda e memorável. Após, DEE apanhou uma bandeira do Brasil de um fã que estava próximo ao palco, mostrou para todos, devolveu ao respectivo dono e disse que executará uma música do Widowmaker, sua ex-banda formada em 1992 tendo fim em 1994, lançaram apenas dois álbuns de estúdio, “Blood and Bullets” (1992) e “Stand by for Pain” (1994), a música escolhida para ser tocada foi “Ready to Fall” do segundo disco.

Possivelmente, o momento mais emocionante da noite foi na execução da linda “The Price” do Twisted Sister, ela foi iniciada com os fãs cantando os primeiros versos da canção e enquanto tocavam, várias fotos de rockstars falecidos foram passados no telão de fundo, músicos como: Ronnie James Dio, Bon Scott, Eric Carr, Freddie Mercury, Phil Lynott, Dimebag Darrell, Lemmy Kilmister, Malcolm Young, Randy Rhoads, entre outros. SNIDER falou sobre esses rockstars e nas palavras dele, “São heróis”. Teve uma hora que o DEE pediu aos fãs para ligarem as luzes dos seus celulares, o que foi logo atendido por vários, que linda homenagem. E ao final, o nome de A. J. Pero com sua data de falecimento, foi mostrada, lendário baterista do Twisted Sister que descanse em paz. SNIDER pediu ao público para gritarem o nome do novo álbum “For the Love of Metal”, prontamente atendido, veio outra faixa dele, “Become the Storm”. Sem respirar, DEE anuncia outra do Twisted Sister “Under the Blade”, faixa-título do primeiro álbum de estúdio lançado em 1982.

Aos gritos de “Dee Snider, Dee Snider…” vindo do público, DEE agradece e manda o clássico dos clássicos “I Wanna Rock”. Composição muito bem recebida pelo público e em seus refrões, assim que o DEE cantava “I Wanna Rock” o público respondia com toda a empolgação e potencialidade “Rock!”, coros e mais coros formados, também, já era esperado, uma música como essa, não tinha como a reação ser outra. Ao decorrer da execução, DEE solicitou aos fãs para que gritassem “Rock!” assim que ele cantar “I Wanna Rock”, como já haviam acontecido nos refrões, mas dessa vez, ele quem deu o sinal e a recepção do público foi ainda maior, ele realizou isso algumas vezes e o DEE gostou tanto mais tanto que ele mesmo pediu para que todos parassem, até mesmo os músicos, admirou e aplaudiu esse maravilhoso momento, o público adorou e gritaram “Dee, Dee, Dee…”. Ele voltou a fazer com os fãs o “I Wanna Rock, Rock!” porém, apenas o DEE e o público, sem nenhum instrumento, realizou isso algumas vezes e todos os músicos voltaram a tocar. Finalizaram o som e se retiraram do palco. Na hora do bis, DEE executou novamente “Tomorrow’s No Concern”, para a gravação de um videoclipe. SNIDER apresentou toda a banda, saindo cada um bastante ovacionado e a saideira ficou por conta da “For the Love of Metal”, ótima composição para se bangear.

DEE SNIDER em cima do palco é um espetáculo. Seus vocais potentes e inconfundíveis, sua energia durante toda a apresentação, extremamente feliz, divertido e cativante, interagiu em vários momentos durante o show, certamente, alegrou e muito a todos que compareceram na noite. E claro, vale mencionar sua talentosa e afiada banda. Os guitarristas Charlie Bellmore e Nick Petrino não paravam em palco com seus ótimos riffs e solos, o baixista Joakin Agnemyr e o baterista Nick Bellmore bem habilidosos e competentes. Com exceção do baterista Nick Bellmore, o Charlie, Nick e Joakin se responsabilizaram pelos vocais de apoio.

DEE SNIDER com seu enorme carisma, talento e simpatia, realizou uma apresentação inesquecível em São Paulo. Duração aproximada de uma hora e vinte minutos de show, cada música do setlist executado foi de uma extrema perfeição, pudemos apreciar as faixas do “For the Love of Metal”, os grandes clássicos do Twisted Sister e uma composição do Widowmaker sob um imenso prazer. A cada um que compareceu no Tom Brasil, saíram do local mais do que satisfeitos por terem presenciado um show magnífico.

Setlist:

1. Lies Are a Business
2. Tomorrow’s No Concern
3. You Can’t Stop Rock ‘n’ Roll (Twisted Sister)
4. American Made
5. Burn in Hell (Twisted Sister)
6. I Am the Hurricane
7. We’re Not Gonna Take It (Twisted Sister)
8. Ready to Fall (Widowmaker)
9. The Price (Twisted Sister)
10. Become the Storm
11. Under the Blade (Twisted Sister)
12. I Wanna Rock (Twisted Sister)

Encore:

13. Tomorrow’s No Concern
14. For the Love of Metal

Line-up:

Dee Snider – Vocais
Charlie Bellmore – Guitarra
Nick Petrino – Guitarra
Joakin Agnemyr – Baixo
Nick Bellmore – Bateria

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.