Dark Dimensions Folk Felstival II @ Espaço 555 – São Paulo/SP (20/10/2018)

Neste último sábado rolou no Espaço 555, a segunda edição do Dark Dimensions Folk Festival, muitas cabeleiras regadas ao som do Viking e Folk metal, mergulharam em muita cultura medieval e pagã.

O evento prometia ter cinco bandas nessa edição, mas a Arandu Arakuaa, por motivos logísticos, infelizmente não pode comparecer. Quem sabe no próximo!!

Contamos com as Brazucas: Burning Christmas e Hugin Munin, e com as internacionais Týr e Arkona.

E, não podemos deixar de mencionar a participação do grupo de batalha medieval “Ordo Draconis Belli”.  Fizeram apresentações intensas nos intervalos das bandas, animando e agitando a galera.

Burning Christmas

Apesar de enfrentarem problemas no som, mandaram muito bem. Esses paulistanos recém chegados ao mercado metaleiro, fazem um som cheio de boas influências e com de atitude. Em geral, encheram o palco, mandaram ver e a galera super curtiu.

Line Up:

Diogo S. Nunes – vocal
Magnus J. Ribeiro – teclado
Leandro Tristae – bateria
Cristiano Oliveira – baixo
Bruno Ferreira – guitarrra
Marcos Brito – guitarra

Hugin Munin

Os já consagrados Vikings brasileiros sobem ao palco com muita garra e atitude. Infelizmente também enfrentam problemas com o som, hora com o mic, hora com os instrumentos, mas Surt pede, com muito profissionalismo, para que melhorem o som, chegando a parar para isso após a abertura. O som segue com problemas, mas eles mandam ver no palco, sem frescuras e com muita garra. O ponto alto do show ficou com um dos hinos da banda “Hail Odin”, que Surt chama dizendo que acredita que todos no recinto são devotos de Odin. A galera vibra muito, canta pula, faz circle pit e interage demais com essa turma. Foi um belo show, com problemas técnicos, mas contornados.

Line Up:

Surt – vocal
Thorgrim – guitarra
Hjalmar – guitarra
Sigurd – baixo
Modi – bateria

Týr

Essa trupe veio para abrilhantar os palcos do fest. Fizeram uma apresentação cheia de energia no palco e em baixo dele. Mesmo com a saída de Terji Skibenæs (guitarra) e Amon Ellingsgaard (bateria), esses incríveis dinamarqueses logo convocaram  Attila Vörös (Satyricon/Nevermore/Warrel Dane) e Waltteri Väyrynen (Paradise Lost/Vallenfyre)., que pareceram se integrar perfeitamente aos colegas, destaque para Attila, que mesmo na parte mais escura do palco, fez sua luz brilhar intensamente, com o sorriso no rosto o tempo todo.

O grupo segue na estrada promovendo o elogiado álbum “Valkyrja” (2013 – Metal Blade). Existem informações que em breve teremos um novo álbum da banda. Que venha!!!

O Týr usa a temática mitológica em suas letras, unindo a música folk e o heavy metal. E fazem isso com muito carisma e originalidade. O show foi muito animado e cheio de interações entre a banda e seus ávidos fãs. Pontos altos do show, se bem que o show todo foi maravilhoso, “Hail to the Hammer” – a qual Heri introduz dizendo: vamos tocar a primeira música do nosso primeiro álbum, levando a galera a loucura.  E, a finalização, que ficou por conta do hino da banda “Hold The Heathen Hammer High”Heri brinca que só vai seguir com essa por que os fãs ali mereceram.  Encerrando assim o belíssimo espetáculo, abrindo espaço para a Arkona, que entra no palco em seguida.

Line Up:

Heri Joensen – guitarra e vocal
Gunnar Helmer Thomsen – baixo
Tadeusz Rieckmann – bateria
Attila Vörös – guitarra

SET LIST TYR

  1. Gates of Hell
  2. Blood of Heroes
  3. Mare of My Night
  4. Grindavísan
  5. The Lay of Thrym
  6. Hall of Freedom
  7. Regin Smiður
  8. Gandkvæði Tróndar
  9. Sinklars Vísa
  10. Hail to the Hammer
  11. Turið Torkilsdóttir
  12. Grímur á Miðalnesi / Wings of Time
  13. Tróndur Í Gøtu
  14. By The Sword In My Hand
  15. Hold The Heathen Hammer High

Arkona

E então, no palco, a grande Headliner da noite:  Arkona!!!

A banda Russa já tem seu solo consagrado e demarcado no País, é um dos grupos mais renomados do folk metal mundial. Fez um show incrível e encantador, digo encantador, pois observei o publico boquiaberto na maioria. Masha, sempre é um show a parte, parece entrar em transe durante todo o espetáculo, trazendo ao palco uma figura iluminada e com energia de sobra, seu vocal agressivo e contundente é realmente impressionante ao vivo.

A banda  excursiona com a turnê promocional do recém-lançado álbum “Khram” (2018). Álbum que explora bastante a musicalidade de todos os integrantes, especialmente da frontwoman.

Formada em Moscou, o Arkona representa uma sonoridade peculiar com grande influência do folclore russo, da mitologia eslava em suas letras e sua música incorpora instrumentação tradicional. Todas as composições da banda são cantadas e batizadas em russo, sendo seus álbuns também nomeados nesta língua e com todas as escritas em alfabeto cirílico.

Masha segue o set concentradíssima em sua performance, chegamos a ver todo o corpo dela estremecer em torno das canções, muitas cabeleiras no ar, um clima místico toma o ar do Espaço 555.

Foi um show fantástico, na maior parte, o publico ficou foi boquiberto mesmo, mas nas mais dançantes, houve interação, pulos e palmas, haha.

Para a master finalização, “Yarilo”, entoada purificando a energia do ambiente e do palco, o publico todo canta e pula junta com os russos. Foi uma belo show, aplaudido por todos.

Line Up:

Masha “Scream” (vocal),

Sergei “Lazar” (guitarra),

Ruslan “Kniaz” (baixo),

Andrey Ischenko (baterista) e

Vladimir “Volk” (wind ethnic instruments)

SET LIST ARKONA

  1. Mantra (Intro)
  2. Shtorm
  3. Kissing The Life
  4. The Temple
  5. In Pursuit Of The White Shadow
  6. Mantra (Outro)
  7. Goi, rode, goi!
  8. Zakliatie (Incantation)
  9. Arkona
  10. Arkaim
  11. Skvoz’ Tuman Vekov (Through The Mist of Ages)
  12. Stenka na Stenku
  13. Yarilo

Esperamos que muitos desses venham. A oportunidade de festejar e agrupar a alma pagã e mistica é maravilhosa. Hail Odin!!!

Fotos: Rafael Andrade

Paula Alecio

Paula Alecio

Diretora, redatora e Apresentadora do Unimetal em Imprensa do Rock
Paula Alecio