CrustCaos – Ep Garoto Suburbano – Resenha

CrustCaos – Ep Garoto Suburbano

Banda de Punk – Hc Crust de Fortaleza- CE

No dia 23 de agosto de 2006, foi montada a CrustCaos; O termo foi criado pela própria banda não existindo portanto uma tradução exata para ele, sendo o mesmo uma alusão ao um dos estilos que tocam com a junção da palavra caos,  que para eles significa caos brutal ou um caos casca grossa (tradução de crust) numa tradução livre.

A atual formação é:  Roberto Junior (vocal), Felipe(bateria), Jota Bastos (baixo)  e Manuel Sales (guitarra)


As letras abordam temas diversos como a fragilidade humana, manipulação da sociedade pela mídia,injustiças políticas e sociais, mas sempre com um diferencial apontando para uma solução.

 

O som tem fortes referências no punk rock 80 e no crustcore, contudo não queremos nos prender a nem um rótulo, preferimos preservar nossa liberdade, tocamos aquilo que vivenciamos e gostamos.

 

Contatos da Banda e Redes Sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/CrustCaos/

Youtube: https://www.youtube.com/user/CrushHellMachine/featured

Resenha EP Garoto Suburbano:

Foi uma surpresa quando recebi o material, da CrustCaos material enviado pelo Jota baixista da banda e também fiquei feliz demais da hora e assim que recebi comecei meu ritual, baixei as músicas recebidas pro PC e pro meu telefone móvel nesta segunda etapa do ritual sofri um pouco mais que o normal, para transferir do computador para o meu telefone as musicas  que estava ansioso para começar a ouvir.

Eu gosto muito de ouvir música caminhando, andando de ônibus e ou lendo.

Enfim isso não vem ao caso vamos ao texto que interessa!

Uma banda pode ser Hard Core, pode ser Crust, pode ser Noise, e pode usar essas e qualquer outra denominação de gênero e subgênero musical para classificar seu estilo sonoro, porém se um desses gêneros for atribuído juntamente com  a palavrinha “PUNK”, fica claro pelo menos pra mim, antes mesmo de ouvir a banda que a temática é de protesto, contestação, ódio contra o sistema, anti religião, anti: fascismo, homofobia, preconceitos, moda, nazismo e quando uma banda se intitula punk é isso que eu espero ouvir, a revolta contra o sistema que está em ruínas, mundo que não deu certo, o fracasso do capitalismo, espero que através da sonoridade e das letras dessa banda  transmitam a revolta contra tudo que está errado no mundo que a mensagem seja clara e objetiva; Então vamos ao que interessa?

 

Uma das coisas que mais me chamou atenção foi a arte da capa (Artwork), que já é um dos destaques da banda pelo menos pra mim.

Já pela capa começa fazer sentido ao menos pra mim, a utilização da palavra punk na descrição e definição contextual da banda. A capa foi feita por Roberto Junior o vocalista.

 

1-Garotos Suburbanos, é a música que abre os trabalhos, a música título do EP já abre dando uma porrada na orelha, trazendo a sonoridade do punk old school e visceral do hard core oitentista, sonoridade similar a das bandas punks dos anos 80 e espero que isso seja encarado realmente como um elogio.

A música é bem cadenciada a guitarra dessa música carrega a tarefa de nortear todo o percurso da música desde a abertura até o final, com um riff singular.

Gosto também do tema central da música, na segunda parte da música tem uma frase que me chama muito atenção, “Não dá mais para pagar pau para a indústria da morte”, mas claro que antes disso tem a frase pré refrão que pergunta “E você o que vai fazer?” porque “Eles querem que você morra, eles querem que você desapareça”.

Não vou aqui teorizar sobre a música e falar sobre minha interpretação mas deixo o convite para que você escute e tire suas próprias conclusões.

 

2-Caos, a música se inicia com uma abertura inusitada, realmente criando uma imagem de caos, uma imagem através do som, representado por um tumulto, colocando, inserindo o ouvinte e espectador bem no meio de um treta que parece muito real, se eu fechar os olhos realmente posso visualizar a cena o homem armado as pessoas e carros passando a polícia chegando e os tiros, eu cheguei a sentir uma sensação de medo, aquela insegurança gerada pelo perigo eminente, a adrenalina do extinto de sobrevivência.

E quando abre pra música então? um berro ensurdecedor “Caaaaaoooos o mundo inteiro está em caos” . As mais diversas cenas vão se passando pela minha cabeça durante a execução dessa música: Haters da Internet, malditos Twitter, Facebook e todas as ferramentas que dão voz aos idiotas, ou melhor já  me retratando, malditos idiotas que usam as redes sociais, outras cenas que a música me lembra são os conflitos religiosos, as discussões sobre políticas, desavenças nos transito e é triste é doloroso saber que coisas tão insignificantes acabem em tretas que geram mortes!  

Sem contar no descaso que sofremos por parte das nossas lideranças políticas!

E que belo clipe de Caos, dá uma conferida no Youtube o clipe mescla cenas de Shows da banda com imagens da Televisão diversas redes mostrando cenas de violência e “Caos”.

 

3-CHM, Crush Hell Machine, o vocal se sobressai e se destaca é uma música rápida um ataque sonoro, um hard core que chega a flertar com o metal e na primeira parte do refrão o baixo tem um destaque maior marcando os graves precisos, criando uma melodia singular.  

4-Cegos Paranóicos, e o que temos aqui quase uma balada, um som um pouco mais lento em relação a tudo que ouvimos até aqui, sim mas até a metade da música que tem uma virada da balada para o punk rock bem old school clássico.

 

5-Reality Show, é uma som rápido que não deixa nada a desejar em relação, as músicas anteriores, a guitarra dessa música é que dá o tom, para todo o desfecho, é uma pegada forte, e nessa música começamos a entender várias dúvidas que ficaram, nas audições anteriores principalmente em CHM.

 

O Refrão de Reality Show  é bem claro “Deus está filmando você, o que você vai fazer” eu particularmente sou anti religião; Porém respeito o posicionamento de uma banda underground, também admiro a coragem dos caras que tocam no meio dos ateus, satânicos, punks e Metaleiros letras que falam de Deus e religião, pois no solo sagrado do som extremo a música mesmo que tenha riffs pesados, voz gutural, mas se falar em Deus ou defender um ponto de vista digamos gospel, pode sofrer retaliações num ambiente que pode se tornar bem hostil.

6-Plim Plim, A introdução me ganhou adoro um quando a intro é realizada pelo baixo, fazer o que né (hehehe).

A caixa da batera fica bem definida marcando o tempo do som, com uma letra subliminar, anti Rede Globo é isso fica óbvio no nome é claro!

Mas acho que é praxe se uma banda leva no nome a definição “Punk” então boicotar o canal do “Plim Plim” é um dos objetivos.

Percebo também uma frase  nessa música que tornou uma tarefa totalmente diferente, o simples ato de escrever esse texto e imprimir minhas opiniões e sensações sobre a sonoridade das músicas deste EP.

 

A frase é a seguinte: “Somos Apostólicos”*1, o que mudou? mudou que tive que abrir mão das minhas opiniões pessoais, ideologias e qualquer questão pessoal, e ter uma audição e olhar imparcial, um foco preciso na audição das músicas e emoções geradas pelos riffs da guitarra, graves do baixo, pelas pancadas na bateria e não é isso que faz a diferença, não é esse o trabalho?

Absorvo e engulo minhas convicções goela a baixo e sigo em frente!

Então entrei em contato com a Banda através da sua Fan page no Facebook: https://www.facebook.com/CrustCaos/

Conversei com Roberto Junior o vocalista da CrustCaos, fiz a seguinte pergunta através da fan page vocês são uma banda Cristã ou Religiosa? o que desenvolveu a seguinte resposta:

 

Sobre ter uma visão cristã ou religiosa eu diria que cristã sim, religiosa não, dentre o diversos termos abordados pela banda está presente, sim o cristianismo porque somos todos cristãos, a banda é formada por dois pastores, um presbítero  e um filho de pastor, então é natural que dentro da temática a gente viesse incluir o cristianismo, mas falamos sobre outros temas também como a desigualdade social, a alienação, corrupção e por aí vai”.

7-Nascer de Novo, a melhor intro de todo o EP uma palhetada precisa nas cordas da guita, a distorção sobre medida, a levada do baixo e por algum motivo o arquivo de audio da musica estava corrompido e não consegui ouvir mais que a metade da música.

8-Etiqueta, uma levada até que começa suave, a guita começa sozinha deslizando pela música para que em seguida comece a marcação de apenas um toque (uma nota) no baixo só marcando a nota, que vem fazer assim, digamos assim a cama para a voz.

 

 

Trazendo uma revolta inerente, que esteve perambulando sobre todo o EP Garoto de Subúrbio.

Full Álbum:

 

*1

Os irmãos apostólicos (por vezes referidos como apostólicos, apostolici, apostoli ou apóstolos) eram uma seita cristã fundada no norte da Itália, na segunda metade do século XIII por Gerard Segarelli, um nativo de Alzano no território de Parma.

Como era de natureza humilde e possuía pouca instrução, seu pedido de adesão à Ordem Franciscana em Parma foi rejeitado. Finalmente, ele resolveu dedicar-se à restauração do que ele concebia ser o modo de vida apostólico. O movimento mais tarde degenerou no infame movimento dolciniano.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Apost%C3%B3licos

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Nós da Rede

Últimos posts por Anderson Severo (exibir todos)

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.