Catavento apresenta novo clipe “Panca Úmida”,  

Catavento apresenta novo clipe “Panca Úmida”,  

 

Single também está disponível nas plataformas digitais.

A Catavento lança nesta quarta-feira (18) o clipe de “Panca Úmida”, primeiro single do álbum “Ansiedade na Cidade” (Natura Musical). O novo trabalho da banda chega às plataformas digitais em 3 de agosto, cuja capa também é divulgada hoje. Assim como a identidade visual do disco, a arte do single é assinada por Leo Rech, responsável pelas ilustrações e Leo Lucena, que fez a diagramação. Juntos, eles respondem pela identidade visual e direção artística deste novo projeto.

Segundo o guitarrista Leo Sandi, autor da música, “Panca Úmida” fala da relação com a cidade e como ela pode moldar nossa maneira de entender o mundo. Além disso, a letra transita pelas interações sociais, cada vez mais cercadas de ódio e desconfiança. “Olhar para sua sombra e dizer ‘eu te vejo’ pode ser um caminho de resolução interna e individual. Ao mesmo tempo, um caminho para começar a enxergar o outro por uma nova perspectiva”, conta.

O vídeo é dirigido por Manoela Cezar e Pedro Geraldo, e foi filmado na capital paulista e na cidade industrial de Cubatão (Baixada Santista). Ele traz um olhar subjetivo sobre a rotina de uma personagem que sofre de problemas respiratórios e anda de moto pela cidade poluída. Com uma fotografia peculiar, o clipe causa aflição e transmite a sensação de ansiedade na cidade. Com o lançamento do clipe, a faixa passa a estar disponível também nas plataformas streaming.

Manoela Cezar, que também atuou na direção do clipe, conta que imaginou algumas cenas já no primeiro contato com a música. “Elas tinham, principalmente, a ver com viver na cidade, o que guarda uma certa angústia, uma sensação de sufoco. A personagem do clipe nunca está em paz, ela está sempre em movimento, inquieta. Quer ir embora, mas não consegue, a cidade não permite, o próprio clipe não permite. Mesmo em movimento, ela continua parada. Ou seja, fugir pode sempre te levar ao lugar de onde você saiu”, reflete.

 

Quanto às referências para a direção do vídeo, Pedro conta: “Elas são, na verdade, tudo o que a gente já viu de filmes, de arte, de tudo. Não tem uma coisa específica que nós buscamos atingir. Sempre optamos por produzir algo que faça sentido para gente, que seja sincero e não se apegue ao que está na moda”.

O lançamento do clipe faz parte do projeto de “Ansiedade na Cidade”. Ele foi selecionado pelo Natura Musical por meio do edital 2017 em parceria com o Pró-Cultura (RS) e Secretaria de Estado da Cultura, Turismo, Esporte e Lazer do Rio Grande do Sul. “Acreditamos na força do Natura Musical para conectar pessoas, valorizar a criatividade brasileira e revelar a diversidade de cada região do país”, diz Fernanda Paiva, gerente de Marketing Institucional da Natura. “O programa já circulou por 18 Estados, apostando em talentos locais. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o edital ofereceu recursos para 17 projetos da música, como Dingo Bells, CCOMA, Yangos, Musa Híbrida e, agora, Catavento”, complementa.

PARA ASSISTIR AO CLIPE, CLIQUE AQUI

SPOTIFY:  http://open.spotify.com/album/5lec4VCReKS8Lnl8tSKeja

FICHA TÉCNICA:

Direção: Manoela Cezar e Pedro Geraldo

Fotografia: Pedro Geraldo e Guilherme Garofalo

Correção de cor: Guilherme Garofalo

Montagem: Manoela Cezar

Produção: Filmes do Acaso

Elenco: Tamara Klink

CATAVENTO É

Leonardo Lucena – vocal, guitarras e baixo

Leonardo Sandi – vocal, guitarra e teclado kawai

Eduardo Panozzo – baixo, guitarra e voca

Johnny Boaventura – vocal, piano elétrico e teclados

Francisco Maffei – samples, sintetizadores, guitarras e vozes

Lucas Bustince – bateria e percussões.

Jonas Bustince –  percussões e bateria

REDES SOCIAIS:

Facebook
Instagram
Twitter

SITE:

Catavento

DISCOGRAFIA

Lost Youth Against The Rush (2014)

CHA (2016)

Nós da Rede

Anderson Severo

Agitador Cultural em Sub_Discos
Comecei a ouvir Rock N'Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence.Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo.
Até que quis montar minha própria banda.
No decorrer da caminhada passei por projetos como:
2000 - Resistência Aflita
2004 - Kaos Eminente
2006 - Estado Crítico
2014 - Insulto Verbal
2015 - Atualmente faço parte dos Projetos
Capa Preta e Exclusão Social.
Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.
Avatar
Nós da Rede

Últimos posts por Anderson Severo (exibir todos)

Avatar

Anderson Severo

Comecei a ouvir Rock N' Roll desde minhas primeiras lembranças conscientes, desde muito cedo. Isso deve ter sido lá por 1985. Começando de cara pela minha primeira lembrança Sonora e Estética é foi e sempre será Raul Seixa, claro que com o amadurecimento e expansão da consciência, as novas lembranças são Ramones, LED Zepellin, The Doors; Conheci também já pré adolescente AC/DC, Legião Urbana, Rolling Stones e Creedence. Ainda adolescente conheci pessoas atuantes na cena local, fui trabalhar como roadie de uma banda chamada orgasmo. Até que quis montar minha própria banda. No decorrer da caminhada passei por projetos como: 2000 - Resistência Aflita 2004 - Kaos Eminente 2006 - Estado Crítico 2014 - Insulto Verbal 2015 - Atualmente faço parte dos Projetos Capa Preta e Exclusão Social. Atuo promovendo eventos, lançando e distribuindo fonogramas, divulgando bandas eventos. Sou Adepto a filosofia Punk e ouço muito Hard Core, Cólera, Ratos de Porão entre outras.