Black Sabbath: confira como foi show da turnê ‘The End’ no The Palace, em Michigan, EUA

Sexta-feira, 19 de Fevereiro, The Palace of Auburn Hills, Michigan recebeu a turnê ‘The End’ do Black Sabbath.

// English Below

Ozzy Osbourne, Tony Iommi, Geezer Butler e equipe invocaram mais de vinte e quatro mil fãs para o sombrio e pecaminoso caminho dentro das regiões infernais, onde, um dia Deus descansou. O “Príncipe das Trevas” e seus companheiros Mephistopheles, começaram a forjar sua manifestação maníaca chamada ‘Heavy Metal’. A viagem foi pauleira total.

O vocal de Ozzy esteve forte ao longo de melodias esperadas como ‘War Pigs’ e ‘Iron Man’, porém foi excepcional durante ‘Into the Void’, ‘Hand of Doom’ e ‘Children of the Grave’. Quando não estava cantando suas runas satânicas, ele comandava a participação do público, com intermináveis uivos, corria de um lado para o outro do palco, enquanto suas mãos aplaudiam / acenavam em frenesi.

As guitarras de Tony e o baixo de Geezer estavam entrelaçados; trabalhando através de ganchos e modulações com facilidade, mantendo um som denso, diabolicamente selvagem. Adicionado à turnê, Adam Wakeman nos teclados / guitarras de apoio, e o próprio Tommy Clufetos de Detroit, Michigan na bateria, o som de metal ímpio do Black Sabbath é completo.

Mil novecentos e sessenta e nove, foi o ano da criação do grupo. No entanto, apesar da sua enorme capacidade de criar linhagens relevantes de blasfêmia; Ozzy, Tony e Geezer declararam que o fim chegou. Se possível, faça a viagem antes do acesso às terras infernais ser negado para sempre.

//

Friday, February 19th, The Palace of Auburn Hills, Michigan experienced Black Sabbath’s ‘The End’ tour.

Ozzy Osbourne, Tony Iommi, Geezer Butler and crew evoked more than twenty-four thousand fans down the shadowy, abysmal path into the infernal regions where, on the day God rested, the Prince of Darkness and his fellow Mephistopheles began forging their maniacal manifestation called heavy metal.  The journey was outright bedlam.

Ozzy’s vocals were strong throughout expected tunes like War Pigs and Iron Man but were exceptional during Into the Void, Hand of Doom and Children of the Grave.  When not chanting satanic runes, he commanded audience participation with never ending howls, sprints from one end of the stage to the other as his hands clapped/waved in frenzy.

Tony’s guitars and Geezer’s bass were tight; working through hooks and changes with ease while maintaining a thick, diabolically savage sound.  Add to the tour, Adam Wakeman on keyboards/back up guitars and Detroit Michigan’s own Tommy Clufetos on drums, the unhallowed metal sound of Black Sabbath is complete.

Nineteen sixty nine, was the year of the group’s inception.  Yet despite their huge following and ability to create relevant strains of blasphemy; Ozzy, Tony and Geezer declare The End has come.   If possible, take the journey before access to the lands of the infernal is denied forever.

Por: Lisa M. Gros (Correspondente de Michigan)
Tradução: Sara Ferrer (São Paulo)
Edição: Victor Santos

Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos