Bizpo do Rozário Lança álbum: “Boi Morto”

Boi Morto é o sexto álbum da banda Bizpo do Rozário. A banda de garagem está na ativa desde 2003 e após o lançamento do álbum Deus é Hell (novembro de 2019), entrou em um período de intensa criação e empolgação com shows e divulgação, com suporte especial do selo Sub_Discos.

O resultado desta fase é um álbum que emerge na sonoridade punk/hardcore, gêneros que sempre estiveram presentes nos outros trabalhos, mas, desta vez, são o leitmotiv das canções.

São 15 petardos tem a duração de 21 minutos, com fortes influências de Circle Jercks, Bad Religion, Jerry’s, Proletariat e Freeze. São músicas rápidas e diretas, contraditoriamente melódicas e brutais.

O conceito deste álbum é a reflexão sobre a realidade política e social da atualidade, somada aos chamados dias de luta (À francesa), e a rebeldia sociopata.

Isso fica nitidamente expressado nas faixas: “Não há nenhum messias na estação”, “A sentença é a mesma”, “Nabucodonosor” e “Boi Morto” em “Edul-cetilcorantes”3 e “Beleza em vida” foram inspiradas na poesia Pop-barroca do poeta Odemir Tex Jr.

O título “Boi Morto” é uma alusão ao povo brasileiro, ainda escravo, espoliado por governos e empresários engajados na necropolítica dos estados neoliberais.

Também faz um link com o nome de uma vila da cidade de Santa Maria (RS), onde a banda surgiu no início do século XXI.

A banda mantém um olhar especial para as Artes Visuais, não só em músicas “Desenho é Poder” e “Seja marginal, seja herói”, mas também nas imagens ilustrativas de cada canção, com pinturas de artistas como Gustave Caillebotte, Roy Lichtenstein, Paul Gaughin, e outros.

“O Tema das imagens é a “carne”, encarada como uma metáfora para nosso povo servil e consumível. Não há lucro nem prejuízo. Apenas tesão em criar músicas com singular visão do mundo. ” Palavras de Rodrigo Cristo Vocalista, Baixista e produtor do álbum.

Boi Morto foi lançado no dia 1º de maio, dia do trabalho e todos estão convidados a ouvir e interagir com o trampo da banda, totalmente independe, gravado e produzido em casa (alguns vocais foram gravados no estúdio da Sub Discos).

Formação:

Rodrigo Cristo: vocal/baixo/letras.

Antero Duarte: guitarra.

John`s Dag: bateria.

Link do álbum “Boi Morto”

https://www.youtube.com/watch?v=P2m_4ZI0mcI

Superfreud nas plataformas de streaming

Em breve nota também a Bizpo do Rozário está relançando simultaneamente em paralelo toda sua discografia nas plataformas de streaming e o primeiro trabalho já está no ar “Superfreud” de 2013.

“A Bizpo é uma referência, uma banda vanguardista e futurista é a última linha de defesa da criatividade e espontaneidade da música independente a resistência! O que nos deixa muito orgulhosos de poder contribuir de alguma forma ou de outra com a banda é uma honra poder trabalhar coma Bizpo do Rozário tando da minha parte quanto toda equipe da Sub! ” Diz Tchaina (Anderson Severo) da Sub_Discos responsável por subir a discografia da Banda para plataformas digitais.

Ouça Superfreud no Spotfy:  https://open.spotify.com/album/14Fk7d6XjPqOkVv6LbTiG2

Para conhecer os músicos da banda Bizpo do Rozário assista a entrevista que os caras deram para galera da Entrevista Sub_Discos:

https://youtu.be/LnJ4KT-noaQ

 

 

Avatar
Nós da Rede
Avatar

Anderson Severo

Atua como baixista das bandas: Capa Preta Rock, Exclusão Social e Ligante Anfetamínico. Fundou o Selo Sub_Discos. Gerente do Estúdio Ophicina Sonora.