Batushka @ Fabrique Club – São Paulo/SP (18/05/2018)

Misteriosos, técnicos e extremamente talentosos. Parece até exagero definir uma banda desse jeito, mas quem assistiu ao show do BATUSHKA, realizado na Fabrique Club em São Paulo, vai entender muito bem do que eu estou falando. Formada em 2015 e com apenas um único lançamento, o surpreendente “Litourgiya” (2015), BATUSHKA, é uma banda de black metal, formado por oito integrantes, sendo que, esses músicos, fazem parte de outras bandas renomadas de black metal do cenário mundial, e desde então, eles vêm mantendo esse mistério em não revelarem às suas identidades. Como eles fazem isso ? Simples. Cada integrante com suas vestimentas similares, se assemelhando como a de um sacerdote, porém, toda preta, com capuzes e tapando os seus rostos. E que por sinal, uma ótima caracterização para simbolizar todo um excelente ritual.

Surpreendentemente, chegando na Fabrique, uma imensa fila para entrar na casa e se não bastasse, já dentro da casa, uma outra enorme fila no merchandising da banda. Pontos positivos do show, porquê, notamos, o quanto a banda, em pouco tempo de carreira, tenha conquistado uma quantidade grande de fãs. Se estava cheio nessas duas ocasiões, óbvio, que a pista já estaria cheia também. Todos bastante ansiosos, não vendo a hora da banda colocar os pés em cima do palco. E por falar do palco, tudo já estava preparado para a missa ou ritual, como preferir chamar, ser realizada. Vários objetos simbólicos, estruturas pelo palco, uma bandeira grande do Litourgiya no fundo do palco, um grande altar para o vocalista ou se preferir, “padre”, iluminações avermelhadas para dar um clima na performance, enfim, um palco muito bem personalizado e chamativo.

O primeiro e único lançamento da banda, “Litourgiya” (2015), consta em oito faixas, cada uma sendo intitulada como, “Yekteniya”, daí, para diferenciar uma da outra, elas possuem as numerações específicas e na ordem, para ninguém se confundir. Portanto, com apenas esse lançamento, a banda nos apresentou esse repertório na íntegra para todos prestigiarem as suas grandes técnicas, suas composições de qualidade e seus talentos em palco.

Com músicas sombrias sendo tocadas de fundo, para dar um clima ao que está por vir, dentro de uns minutos, cada integrante da banda, tirando o vocalista, começa a aparecer no palco e tomando seus respectivos lugares. Com inúmeras vibrações do público e vários gritos de “Batushka”, a banda inicia seu repertório com uma breve intro pesada, bem harmônica e atmosférica. Nesse tempo, o vocalista entra em palco, saudando o público com um pequeno cálice em suas mãos, saudá seus companheiros e logo, recita, algumas palavras, como “Batushka, Litourgiya”, dando às boas vindas para todos que compareceram naquela noite e por ter recitado isso, executa “Yekteniya I: Ochishcheniye”, um som bem apreciável aos bons fãs de black metal. Contém um riff bem composto e atmosférico, um andamento acelerado em seus instrumentos, vocais barítonos e rasgados se contrapondo, a banda já começou bem. Agradou e já impressionou a todos os presentes. Seguindo a ordem, “Yekteniya II: Blagosloveniye”, começa brutal e intenso, caindo para suas alternâncias dos vocais, os rasgados realizados pelo “padre” e os barítonos, também realizados pelo “padre”, mas principalmente, pelos vocalistas de apoio.

Alguns gritos de “Batushka, Batushka”, “Yekteniya III: Premudrost’” foi a próxima. Enquanto os vocais de apoio faziam sua intro com sinos, a galera continuava batendo palma. Para caírem em melodias viscerais e frenéticas. Algumas notas na guitarra, para darem início a “Yekteniya IV: Milost’”, seu começo, onde o “padre”, utilizando seus cantos barítonos, dá muita a impressão de uma missa satânica sendo anunciada e partindo logo para a brutalidade nos instrumentos. Seus riffs de guitarra durante a execução dos vocais rasgados, são impressionantes. Bem atmosféricos na tonalidade certa, típicos de um tradicional black metal. Na sequência, “Yekteniya V: Svyatyy Vkhod”, seguia seu ritual repleto de técnicas contidas na execução. O “padre”, pedindo para todos ficarem em silêncio e escutarem a intro da “Yekteniya VI: Upovane”, que por sinal, uma intro bem sinistra contendo apenas vozes. Uma composição seguindo a mesma pegada das anteriores, em que ao final dela, o “padre”, fez a mesma coisa que no começo, pedia para todos fazerem silêncio para o guitarrista finalizar a música com palhetadas altas e suaves, mas sem deixar a atmosfera de lado. Executaram a excelente “Yekteniya VII: Istina” e finalizaram com “Yekteniya VIII: Spaseniye”, onde nessa última, o “padre”, antes de iniciar a música, pegou o quadro do Litourgiya, que inclusive, o quadro ficou exposto a todo o show no altar do vocalista, apresentou-o ao público e aos seus companheiros, tocaram a canção e ao final dela, ele ainda, pegou uma pequena vassoura, passou tipo de um pó preto nela e jogou na galera da pista. Vamos considerar um outro tipo de saudação, porquê não?!

Dessa maneira, o ritual, a missa, ou como você preferir chamar, foi encerrada. Todos os integrantes deixaram seus postos e saíram. E quando o público ainda estavam por lá, esperando por mais alguma coisa ou sei lá o quê, eis que para a surpresa de todos, aparecem dois integrantes da banda vindos lá do fundo da Fabrique, mais especificamente, da parte direita contendo uma rampa, e foram indo em direção a pista onde estavam os fãs. Óbvio, que o público foi ao delírio. E mantendo o mistério, eles sem reação nenhuma, simplesmente, deram uma volta pela galera e se direcionaram, voltando aos seus camarins. Uma coisa é certa, eles podem serem misteriosos, sem reações, sem interações, lógico, isso faz parte das características do grupo e nem perto de ser um erro deles, mas, mesmo assim, conseguiram demonstrar a simpatia e o comprometimento com os fãs.

Foi uma noite fantástica em São Paulo. Um show surpreendente, black metal de qualidade e realizado impecavelmente pela banda. Cada composição, foi de impressionar aos amantes do metal extremo, por tamanha técnica que possuem e uma performance em palco, bem caracterizada, única, atmosférica e cativante. Esperamos agora, mais lançamentos da banda e mais vindas em terras brasileiras.

Setlist:

1. Intro
2. Yekteniya I: Ochishcheniye
3. Yekteniya II: Blagosloveniye
4. Yekteniya III: Premudrost’
5. Yekteniya IV: Milost’
6. Yekteniya V: Svyatyy Vkhod
7. Yekteniya VI: Upovane
8. Yekteniya VII: Istina
9. Yekteniya VIII: Spaseniye

Giancarlo Rossi

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.
Giancarlo Rossi
Avatar

Giancarlo Rossi

Cursando Rádio e TV. Escuta todas as vertentes do Rock e do Metal. E Adora Cinema.