Ator Morto apresenta para o público o “CAOS EP”.

Ator Morto apresenta para o público o “CAOS EP”.

                                                       (Foto: Denis Carrion)

São Paulo, setembro de 2018 – Depois de lançar o single “Não Consigo Não” em esquema mobile first, o Ator Morto apresenta para o público o “CAOS EP”. Formada por Alexandre Capilé e Caique Fermentão, da Forever Vaction Records, a dupla de rock disponibiliza para o público o material completo e o clipe da música “Caos”. O show de lançamento acontece dia 22/09, no Estúdio Costella (SP).

“Este EP foi produzido de forma bem crua, sem mágicas de pós-produção em estúdio e valorizando os takes mais verdadeiros. Começamos a gravar tudo em fita, num multitrack de quatro canais que tenho desde a minha adolescência. Tudo isso no Estúdio Costella, usando prés e microfones profissionais numa plataforma super limitada. A idéia era criar uma super produção dentro de uma super limitação (quatro canais e fita analógica). O resultado final trouxe a sonoridade desejada. Bonitas canções gravadas de forma rudimentar, resultando na estética suja e requintada que queríamos, remetendo a épocas que amamos da música”, explica Capilé.

Ouça “CAOS”:https://open.spotify.com/album/5YZbuhbUz6XvvWRC9CP8Ud

 

Capa do EP

Foto: Denis Carrion

Arte: GG. Di Martino

Faixa a faixa por Alexandre Capilé

01 – Minta Bem: Talvez a música mais “britsh rock” deste lançamento, resgata o som rock and roll anos 90 de bandas como Oasis, Stone Roses, etc; aliados a estética do garage rock. Fala sobre o quanto é importante saber viver um momento bom, pois ele pode ser o último, a mensagem da música é: Se for pra fazer qualquer coisa faça bem.

02 – Caos: Faixa que dá nome ao Ep, traz uma sonoridade garage rock/surf music, sua letra fala aborda colisões no espaço, leis da física quântica e sobre se perder. Foi a primeira canção escrita para esse projeto, sua mensagem é bem direta logo no início “Tudo que sei, não adianta mais pra me salvar” retrata bem o desespero de que não consegue mais estar em equilíbrio com a vida. Mas como numa história bem famosa da humanidade, o ator morto ganha forças e ressuscita.

03 – Não Consigo Não: O encontro de ACDC com o Oasis se dá nessa música, a mais “roqueira” do EP. Uma vida desregrada impacta em muitas ressacas e promessas de nunca mais repetir os erros da noite anterior, infelizmente e apesar das promessas, o objetivo não é alcançado e tudo se repete. Não consigo não.

04 – There’s a line… : A influência de Ty Segall, The Oh Sees e Fidlar é direta. Garage rock californiano hecho in sudamerica. A letra aborda o quanto um vício pode ser legal e te dar a energia para lidar com sua vida por um tempo, porém uma hora você descobre que não está mais no comando e não quer desperdiçar sua vida com esta merda, mas há sempre uma tentação esperando por você, e por mim.

05 – It Feels: A balada anos 90 está de volta, sem medo de clichês e com um belo dueto de vozes esta canção nos faz voltar no tempo e relembrar as festinhas americanas da adolescência noventista. A letra, que a primeira vista parece ser de um amor clichê, acaba se revelando numa declaração de sinceridade dos novos tempos, onde valorizamos muito mais a verdade do que a ilusão de dias melhores.

06 – Zero: Uma introdução épica abre a música, que também flerta no namoro Oasis/ACDC da dupla. Com pitadas de stoner rock ela fala sobre as relações descartáveis, sem conexão e que acabam no primeiro raio de sol. Reflete sobre o quanto pessoas livres, algumas vezes perdidas, cruzam caminhos, abusam dos desejos, do momento e partem sem olhar pra trás. Analogias com a matemática e sobre o significado do zero filosoficamente estão espalhados pela letra, onde a busca pela verdade pode estar nos acontecimentos mais fúteis da vida.

Clipe de “Caos”

“O clipe é um apanhado de imagens feitas durante a gravação do EP, a idéia é manter o registro da forma que gravamos e a energia da gravação”, conta Capilé, que dirigiu e editou o material.

Assista: https://youtu.be/JdFGBvwuQYE

SOBRE ATOR MORTO

Ator Morto é uma dupla de rock formada por Alexandre Capilé (voz, violão e guitarra) e Caíque Fermentão (backing vocals, bateria, baixo e violão). Formada em 2018, em São Paulo/SP, materializa em música a amizade dos parceiros do selo Forever Vacation Records.

Em novembro de 2017, durante um período de depressão, Capilé descobriu o prazer em compor como terapia.

Então decidiu escrever e gravar uma música por dia para simplesmente se sentir bem, sem grandes pretensões.

O resultado disso são as músicas do Ator Morto – o nome é ligado à depressão, onde de certa forma ele se considerava o “ator morto”.

Em fevereiro de 2018, mostrou as músicas para Caique e o convidou pra gravá-las. Durante esse processo, decidiram virar uma dupla de rock, onde os dois teriam o controle artístico do projeto.

Seis músicas foram escolhidas e gravadas de forma “vintage” no Estúdio Costella, em São Paulo. Tudo foi produzido, gravado e mixado por Capilé. Detalhe: em quatro dessas músicas existem vozes e violões originais das demos. Com o primeiro EP finalizado, “CAOS EP”, lançado em setembro.

SOBRE FOREVER VACATION RECORDS

Forever Vacation Records é um selo e gravadora independente, fundado em 2017, com sede no Estúdio Costella (São Paulo). Formado por Alexandre Capilé, Fabricio Livre e Lucas Melim, figuras conhecidas no rock underground, está movimentando a cena não só lançando álbuns, mas também fazendo booking, produção executiva, PR e gerenciamento de carreira. Além de promover tours, festas e atividades culturais. Com quase um ano de existência, o selo tem em seu casting as bandas Water Rats, Deb and The Mentals, Karen Dió, Corona Kings, Luke & No Friends, Devilish, Violet Soda, Dínamo e Ator Morto. Em agosto de 2018, fechou parceria com o selo e gravadora chileno Algo Records e lançou o álbum do duo Magaly Fields no Brasil.

Site: http://www.forevervacationrecords.com/

Facebook: https://www.facebook.com/ForeverVacationRecords/

Instagram: https://www.instagram.com/forevervacationrecords/

Youtube: http://bit.ly/2AmZ4jI

Nós da Rede

Anderson Severo

Atua como baixista das bandas: Capa Preta Rock, Exclusão Social e Ligante Anfetamínico. Fundou o Selo Sub_Discos. Comunicador em Radio Putzgrila. www.radioputzgrila.com.br