Accept em São Paulo: alemães apresentaram a verdadeira fúria cega em show estupendo

ACCEPT @ Carioca Club/SP: "Blind Rage World Tour 2016"

Está procurando se “alistar” no Heavy Metal? Aliste-se e compareça obrigatoriamente num show do Accept – uma aula para os iniciantes e um doutorado para os veteranos. Os alemães retornaram um ano depois, após apresentação no Monsters of Rock, para um show lotado no Carioca Club com direito a setlist apresentando músicas do último trabalho “Blind Rage, 2014″ e revisitando os clássicos consagrados.

Resenha e Edição: Victor Santos
Fotos: Thiago Almeida
Credenciamento: Free Pass Entretenimento

O Accept subiu ao palco no horário combinado trazendo uma trinca de cair os queixos, saca só: “Stampede”, “Starlingard” e “Hellfire” (dos trabalhos mais recentes e uma das melhores fases dos alemães até hoje “Starlingard, 2012” e “Stampede, 2014”).

Confira entrevista exclusiva com Wolf Hoffmann

Quando os fãs aprovaram o trecho inicial do show, a banda abriu o baú e resolveram buscar algo dos clássicos “Metal Heart, 1985, “, “Balls to the Wall, 1984”, e “Restless And Wild, 1982”; tendo, na sequência, “London Leatherboys”, “Living for Tonite”, “Restless and Wild” e “Midnight Mover” – um fã gritava do meu lado, emocionado, chamando atenção tentando se aproximar da grade e comentando: “cara, essa é minha música favorita”. Nos clássicos era UDO, achávamos que era até mesmo o vocalista que estivesse ali em cima do palco, por causa da leve semelhança com o timbre de Mark Tornillo, ao qual vem fazendo um excelentíssimo trabalho nos últimos discos do Accept.

ACCEPT @ Carioca Club/SP: "Blind Rage World Tour 2016"É inegável que, disco após disco, os alemães fazem obras primas e se renovam constantemente; é impossível não declarar aquela velha pergunta “quem é melhor quê quem, UDO ou Mark?” UDO, deixou um legado enraizado na mente dos fãs e, Mark Tornillo, está fazendo o seu trabalho para ter a mesma lembrança aqui agora e no futuro.

Confira como foi a cobertura para o show no Rio de Janeiro.

O Accept continuou com a setlist matadora. Além de apresentar canções do último disco, as clássicas ganhavam cada vez mais força. Uma misturada com “Princess of The Dawn”, “Dark Side of My Heart”, “Pandemic”, “Fast as a Shark”, “Metal Heart” e “Balls To The Wall” dava pra ter uma ideia do aperto que era tentar “ficar parado” na pista com 100% do público pulando e gritando a todo o instante.

ACCEPT @ Carioca Club/SP: "Blind Rage World Tour 2016"Wolf Hoffman dava um espetáculo a parte com os solos e riffs saborosos, Mark Tornillo, com sua voz estupenda, dava o “quê a mais” com sua força, Peter Baltes bangeando da melhor forma possível com seus cachos destruidores e os novatos integrantes Uwe Lulis e Christopher Williams na guitarra e bateria, respectivamente, davam o ar da graça, reproduzindo com perfeição cada música.

O carisma e humildade dos integrantes do Accept é algo indiscutível. Sempre cumprimentando alguns fãs, Mark homenageando o país com a nossa bandeira circulando pelo palco, suas histórias, a performance de Wolf ao qual fazem os fotógrafos ficarem malucos com cada pose uma melhor que a outra, é algo que deixa marca em cada fã que lota qualquer que seja a vez que os alemães pisam em solo brasileiro.

Me recordo ao assistir o show do Monsters of Rock, ano passado, ficava imaginando como seria um show de duas horas dos caras já que em festival é sempre mais curto devido as outras atrações. Dito e feito, os caras destroem seja com meia hora, uma hora, ou seja lá quantas horas de shows tiverem sido disponibilizados para os mesmos.

Meus amigos, deixo o meu mais singelo: voltem sempre!

Abaixo, confira galeria de fotos exclusivas para o segundo show da turnê mundial “Blind Rage”, em São Paulo, no Carioca Club.

Arrow
Arrow
ACCEPT @ Carioca Club/SP: "Blind Rage World Tour 2016"
Slider
Victor Santos

Victor Santos

Editor-Chefe em Imprensa do Rock
Victor Santos é editor-chefe do Imprensa do Rock e Diretor Geral do Programa Unimetal. Desde 2011, vem trazendo conteúdo de qualidade para os amantes da música e do cinema.
Victor Santos